• 30 agosto de 2017
  • admin
  • Autismo

Autismo: A avaliação do repertório inicial – ABLLS-R e VB-MAPP

O primeiro passo para início das intervenções em ABA é fazer o delineamento da linha de base, ou seja, a avaliação do repertório inicial. Precisamos conhecer o indivíduo e suas particularidades. Para isso, usualmente é feita sessão de anamnese, na qual são colhidos dados sobre a história de vida através de entrevista com os familiares. Em seguida, é realizada a observação direta, pautada em instrumento que propicie mensuração objetiva desse repertório. Falaremos a seguir sobre dois instrumentos importantes e efetivos: ABLLS-R e VB-MAPP.

Instrumentos importantes e efetivos para avaliação do repertório inicial

O que é ABLLS-R?

ABLLS-R é a sigla em inglês para Avaliação de Linguagem Básica e Habilidades de Aprendizagem-Revisada. Além de ser um instrumento de avaliação, serve como guia curricular ao elencar habilidades básicas de comunicação e de aprendizagem. No total, são 544 habilidades que se dividem entre 25 áreas, como interação social, auto ajuda e habilidades motoras, por exemplo. Todas elas são esperadas para crianças em idade pré-escolar com desenvolvimento típico.

O que é VB-MAPP?

A sigla, também do inglês, significa Avaliação de Marcos do Comportamento Verbal e Programa de Nivelamento. Esse instrumento compreende 170 marcos de desenvolvimento subdivididos em três níveis, que vão de zero a 48 meses de idade. Dentro de cada divisão, existem diferentes habilidades, tais quais Mando, Tato, imitação motora, habilidades de grupo e pré-acadêmicas. Além disso, são avaliadas 24 possíveis barreiras para o aprendizado, como comportamento hiperativo e baixo contato visual, por exemplo. O VB-MAPP disponibiliza uma avaliação de transição, na qual a junção de habilidades e barreiras ajuda a identificar os fatores determinantes para as dificuldades de aprendizado daquela criança. Ainda há uma ferramenta chamada “análise de tarefas e rastreamento de habilidades”, com a qual é possível maior detalhamento das habilidades esperadas, chegando a cerca de 900. Por fim, tem-se acesso a um plano de ensino individualizado que propiciará o nivelamento.

Por que usar esses instrumentos?

Em primeiro lugar, ambos tem como base marcos do desenvolvimento relacionados ao Comportamento Verbal e habilidades básicas. Embora sejam instrumentos conhecidos por seu uso em indivíduos com TEA, podem ser aplicados a indivíduos com outros transtornos ou atrasos do desenvolvimento. Outro fator relevante é que são ferramentas objetivas que indicam exatamente os repertórios a serem desenvolvidos. Além disso, tais características tornam possível mensurar a evolução da criança após a intervenção, através da reaplicação da avaliação.

 

Referências Bibliográficas:

 

*O Grupo Conduzir declara que os conceitos e posicionamentos emitidos nos textos publicados refletem a opinião dos autores.

  • Compartilhar essa materia:
Top