• 15 maio de 2021
  • admin
  • Blog

Grupo de Habilidades Sociais

Sabe-se que crianças com TEA necessitam de treino e ensino para aquisição de Habilidades Sociais, uma vez que não as desenvolvem de maneira natural. Uma das estratégias que busca promover um ambiente de aprendizagem para esse repertório é  o Grupo de Habilidades Sociais.

E o que é um Grupo de Habilidade Social? Trata-se de um contexto de terapia em grupo, em um ambiente controlado (podendo ocorrer em ambiente natural, eventualmente), composto por terapeutas ABA (cada terapeuta é responsável por uma criança) e uma coordenadora que deverá desempenhar o papel de organizar e aplicar as propostas previamente estruturadas. Dessa forma, aumentamos as oportunidades de ocorrência das respostas esperadas, de maneira que a manipulação de ambiente e o aumento da motivação do grupo gerem, nesse espaço, experiências reforçadoras. Vale lembrar que os reforços utilizados costumam ser naturais, como a própria brincadeira, a participação na atividade com o grupo e a construção do vínculo entre eles.

As atividades propostas são confeccionadas antecipadamente e são pensadas a partir da linha de base do grupo, com objetivos definidos do que se pretende ensinar. Considera-se a relevância daquele comportamento para a qualidade de vida da criança, principalmente em suas interações com os pares. 

Os terapeutas utilizam folhas de registros com a finalidade de mensurar os progressos conquistados e o que ainda está em déficit, precisando ser mais estimulado.  Além disso, são responsáveis por produzirem dicas/ajudas (as menos intrusivas possíveis) de acordo com o repertório e histórico da sua criança, atuando na maior parte do tempo como sombras e realizando intervenções nos momentos em que ela apresenta dificuldade de seguir as instruções da coordenadora.

Para compor um grupo com uma probabilidade alta de atingir os objetivos supracitados, é necessário que os repertórios de habilidades entre as crianças sejam semelhantes e que elas possuam uma diferença de idade de no máximo 3 anos e tenham interesses parecidos. Vale ressaltar que as supervisoras realizam avaliações individuais a partir de instrumentos como VB-MAPP, SOCIALLY SAVVY, AFLS e/ou VABS-3.

De maneira geral, buscamos promover um ambiente de aprendizagem e construção de vínculos, induzindo respostas-alvo, apresentando reforço contingente, facilitando a interação entre as crianças e buscando estimular a generalização das habilidades aprendidas para outros espaços sociais em que elas possam estar.

 

Graciele reis
Psicóloga e Supervisora ABA
CRP 06/125313

 

*O Grupo Conduzir declara que os conceitos e posicionamentos emitidos nos textos publicados refletem a opinião dos autores.

  • Compartilhar essa materia:
Top