• 8 fevereiro de 2018
  • admin
  • Autismo

Operações Motivadoras: a tal da motivação

Em muitos textos de Psicologia, a motivação é descrita como tendência, necessidade ou desejos internos que causam nossas ações. Tais conceitos permitem ignorar a relação ambiente-organismo que altera o comportamento e atribuem ao indivíduo o próprio desempenho deficitário.
Para a Análise do Comportamento, uma operação motivadora é de fundamental importância na relação de contingência (antecedente – resposta – consequência), algumas vezes sendo considerada como mais um elemento desta relação, haja vista que resposta e consequências são alteradas por ela.

Definindo Operações Motivadoras

As Operações Motivadoras (OM) consistem em mudanças ambientais que alteram temporariamente a efetividade de estímulos como reforçadores, bem como a frequência de respostas relacionadas a tais consequências.
Alguns autores classificam as Operações Motivadoras (OMs) em dois tipos principais:

  • Operação motivacional estabelecedora (OME), que aumenta a eficácia de uma consequência como reforçadora, sendo um exemplo a privação temporária de um alimento. Nesse caso, haveria aumento das respostas relacionadas com a obtenção de alimento.
  • Operação motivacional supressora (OMS), que reduz a eficácia de uma consequência como reforçadora, consistindo um exemplo a saciedade temporária de alimento. Aqui, respostas relacionadas com a obtenção de alimentos seriam reduzidas.

Qual operante verbal é mais influenciado pela motivação?

O operante verbal diretamente relacionado à OM é o mando, visto que a resposta está sob controle de uma operação motivacional e é reforçada pelo reforçador correspondente (ou pela remoção de estímulo aversivo correspondente). Em outras palavras, é uma solicitação por algo que o indivíduo deseja, e esta resposta é reforçada pela aquisição ou realização daquilo que se quer.
Assim sendo, a privação (ou limitação de acesso) dos itens para o ensino de mando é de fundamental importância, uma vez que um treinamento estruturado desta habilidade inicia-se ensinando a pessoa a emitir a resposta socialmente adequada para conseguir um reforçador que tenha alto valor motivacional.

Qual a importância da privação nas terapias ABA?

Nas terapias são praticadas, muitas vezes, habilidades que exigem um alto custo de resposta dos pacientes. Desta forma, é importante que os estímulos selecionados como reforçadores estejam com alto valor. Ou seja, a restrição de acesso da criança ao item permite que ela esteja mais motivada (“disposta”) a realizar e permanecer nas demandas que exigem mais dela. Por outro lado, quando a criança tem acesso livre a tais itens, permitimos que ela fique saciada, ou seja, menos motivada para se comportar de modo a ter acesso aos itens, apresentando um desempenho pouco efetivo nos programas.
Portanto, o estabelecimento da motivação através da seleção de itens reforçadores e privação dos mesmos facilita o engajamento em diversas atividades. E, como podemos concluir, com a modificação ambiental é possível garantir a aprendizagem.

 

Referências Bibliográficas:

  • MARCON, Roberta Maia  e  BRITTO, Ilma A. Goulart de Souza. Operações motivadoras e atenção social: Eventos relevantes para comportamentos-problema de esquizofrênicos. Perspectivas. 2011, vol.2, n.2, pp. 192-202.
  • MARTIN G.; PEAR J. [tradução Noreen Campbell de Aguirre; revisão científica Hélio José Guilhardi]. Modificação de comportamento: o que é e como fazer. 8 ed. São Paulo: Roca, 2009.
  • MICHAEL, J. (1982). Distinguishing between discriminative and motivational functions of stimuli. Journal of the Experimental Analysis of Behavior37(1), 149–155. 

 

*O Grupo Conduzir declara que os conceitos e posicionamentos emitidos nos textos publicados refletem a opinião dos autores.

  • Compartilhar essa materia:
Top