Logotipo

Programa Bem Estar, na Rede Globo e Grupo Conduzir – série especial de reportagens sobre autismo

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), existem 2 milhões de autistas no Brasil.

O Programa Bem Estar exibiu durante a semana do dia 13 a série “Autismo, uma jornada nesse novo mundo”. Ao longo de sete reportagens, foi mostrado a origem do autismo, seus níveis, como a lei lida com o transtorno e o que dizem as pesquisas mais atuais.

[su_youtube_advanced url=”https://youtu.be/cBrg7u9qSjc” responsive=”yes” controls=”yes” autohide=”yes” showinfo=”no” rel=”no” fs=”no” theme=”light” https=”yes”]

As gravações passaram pelas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Campinas. O programa entrevistou os melhores especialistas da área e o Grupo Conduzir teve participação especial. No caminho, foram ouvidos diversos casos e histórias, como a de Ana Paula e Marcelo, pais dos gêmeos Gustavo e Felipe e do jovem Matheus, todos atendidos pelo Conduzir.

A supervisora Marina Ramos Antonio, falou sobre o tratamento em ABA, sua eficácia e comprovações científicas

[su_youtube_advanced url=”https://youtu.be/xdsmMr9IJ_g” responsive=”yes” controls=”yes” autohide=”yes” showinfo=”no” rel=”no” fs=”no” theme=”light” https=”yes”]

Como é viver com autismo? Cada pessoa com autismo é diferente da outra, existem muitos espectros, mas a dificuldade de compreensão e comunicação com outras pessoas é uma dificuldade comum. Nas terapias as pessoas treinam esse reconhecimento para melhorar sua relação com o mundo.
Existem alguns sinais de alerta para o autismo:

  • Não responder ao nome aos 12 meses
  • Não apontar objetos aos 14 meses
  • Não brincar de faz de conta aos 18 meses
  • Falta de contato visual e querer ficar sozinho
  • Dificuldades para entender os sentimentos dos outros e falar dos próprios
  • Repetir palavras e frases muitas vezes
  • Dar respostas que nada têm a ver com as perguntas
  • Ter interesses obsessivos
  • Ficar extremamente abalado por pequenas mudanças
  • Agitação excessiva
  • Reações inesperadas ao barulho de coisas, cheiros, gostos

O Centro de Controle de Doenças dos EUA criou bandeiras vermelhas, de atenção, mas muitas pessoas sem autismo podem também apresentar esses sinais. Por isso é importante buscar ajuda profissional.

Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor a qualidade de vida da pessoa. Não existem testes sanguíneos para identificar o autismo. A observação do comportamento e desenvolvimento é essencial para fechar o diagnóstico.

[su_youtube_advanced url=”https://youtu.be/XVL1TuhZ9Kc” responsive=”yes” controls=”yes” autohide=”yes” showinfo=”no” rel=”no” fs=”no” theme=”light” https=”yes”]

Para assistir à matéria, clique no link:
https://globoplay.globo.com/v/6943798/programa/
https://globoplay.globo.com/v/6946588/ 
Fonte: Reportagem publicada em 13 de agosto de 2018 pelo site g1.com.br – com modificações.

Grupo Conduzir ® Todos os direitos reservados | Feito com ♥ por CRIAH